Friday, March 7

.
.

. La Mémoire, 1948
.
.
.
Je remplace la mélancolie par le courage, le doute par la certitude, le désespoir par l'espoir, la méchanceté par le bien, les plaintes par le devoir, le scepticisme par la foi, les sophismes par la froideur du calme et l'orgueil par la modéstie.
.
.
.
Lautréamont, in Poésies I
.
.
.
.

6 comments:

Anonymous said...

Há ocasiões em que fazemos todas essas substituições.
Do preto para o branco.
Do feio para o bonito.
Do silêncio para o bulício.

Do real para o imaginário?

Mas normalmente...depois acordamos.

teresamaremar said...

E de novo o sonho nos absorverá. Em poesia.

:)

peregrino said...

Poeta maldito para uns quantos, mas para mim tão bendito quão fantástico.
Que excelso legado nos deixaria este Poeta – em sonho e poesia, para te parafrasear - se os deuses o tivessem deixado viver mais tempo. Mas, como dizia Menandro, os omnipotentes divos querem junto de si, e muito cedo, aqueles que amam. :(

teresamaremar said...

Sempre que se vai um dos grandes, pergunto-me em que limbo ficará pendente quanto tinha ainda para dar...

Mar Arável said...

TALVEZ POR ISSO OS LIDERES

NÃO SÃO IMPOSTOS MAS ACEITES

AO CONTRÁRIO DOS CHEFES

O Puma said...

É injusta

tanta modéstia