Saturday, December 15

.
.
..
.
.
Beijo pouco, falo menos ainda.
Mas invento palavras
que traduzem a ternura mais funda
e mais quotidiana.
Inventei, por exemplo, o verbo teadorar.
Intransitivo.
Teadoro, Teodora.
.

.
.
Manuel Bandeira
.
.
.

3 comments:

peregrino said...

Será mesmo intransitivo o verbo? É que quem "teadora" teadora alguém. Logo, há um pressuposto de trânsito... mesmo que o sujeito não transite ou não possa transitar. :)

teresamaremar said...

:) também sorrio...

sujeito... eu

predicado... teadoro

teadoro o quê?/quem?... quem adora adora alguma coisa

quando se pergunta ao verbo o quê?/quem? a resposta é o Complemento Directo, logo verbo transitivo.

Será o te>adoro que faz a diferença?

mas se ele diz... teadoro, Teodora ele próprio introduz a Teodora enquanto complemento directo.

:)))))))) já estou confusa!!!

isabel victor said...

Adoro ! :))


b*

iv