Sunday, October 7

Petits Riens

.
.
Le Mariage de Minuit, 1926
.
.
Mieux vaut n'penser à rien
Que n'pas penser du tout
Rien c'est déjà beaucoup
Ce sont ces petits riens
Que j'ai mis bout à bout
Ces petits riens
Qui me venaient de vous
.
.
Serge Gainsbourg
.
.
.

9 comments:

rigoletto said...

Lembrei-me de:

Irene Lisboa

"Uma mão cheia de nada...outra de coisa nenhuma".

Edith Piaff

"Non...rien de rien...non, je ne regrette rien!"

Villaret

"Tão gostosa e recolhida,
tão pronta e tão conformada,
quanto o gosto é não ter nada."

E foi bom.

teresamaremar said...

Boa noite Rigoletto

não sei porque, depois de Irene Lisboa, lembrei palavras outras...

vais dormir, com um copo vazio e um outro cheio de água... podes ter sede e podes não ter.

Fragmentos Culturais said...

Achei interessante este jogo fon�tico de 'ma griffe' versus 'Magritte'!

Apreciadora portanto!

Gainsbourg, p�ssimo como pessoa dizem, mas excelente poeta, ao seu estilo!
Abra�o

teresamaremar said...

Boa noite Fragmentos

grata pela visita.

:) ma griffe... magritte

Mar Arável said...

PELO SONHO É QUE VAMOS

isabel victor said...

...

belíssimo este teu blog !!!

b*

Pedrita said...

adorei a imagem e o poema. beijos, pedrita

cruzeiro do sul said...

Tudo brilha, tudo escurece e tudo volta a resplandecer. O tudo é feito de pequenos nadas, e a vida nada mais é que uma teia urdida de trilhos de luz e sombra, quietude e desassossego, e de alegria e lágrimas entrelaçadas.

teresamaremar said...

Há uma quadra de samba brasileiro, que sempre tenho presente, e que, Cruzeiro do Sul, me veio, de novo, com essas palavras...


O que dá para rir, também dá para chorar
questão de peso e medida
questão de tempo e lugar
tudo são coisas da vida


uma boa noite